Aprenda mais sobre acidentes que envolvem corpos estranhos em animais



Aprenda mais sobre acidentes que envolvem corpos estranhos em animais

 11 .Set .2017  

Você já deve ter ouvido falar sobre cães e gatos que ingerem corpos estranhos. Leia o texto e aprenda a identificar os sintomas e como agir em situações como essa.

Corpos estranhos

O que é?

Qualquer objeto estranho que seja ingerido pelo animal é considerado corpo estranho. Dentre os objetos mais perigosos que os animais ingerem, estão as pilhas e objetos perfurocortantes. Em particular corpos estranhos lineares são muito perigosos. O problema causado por corpos estranhos é chamado de obstrução, seja ela esofágica (no esôfago), gástrica (no estômago), ou intestinal.

O que causa?

A ingestão de objetos não alimentares que ficam alojados em qualquer lugar do sistema digestivo dos animais.

É transmissível?

Não

Sintomas?

Quando o objeto fica alojado, geralmente o primeiro e mais proeminente sintoma é o vômito. Quanto mais próximo do início do sistema digestivo, mais comuns e frequentes são os vômitos. A perda de peso é comum, especialmente em corpos estranhos que permitem a passagem de alimentos, ainda que pouca, e que não causam sintomas graves agudamente, pois estes ficam sem tratamento por mais tempo, levando à perda de peso. Diarréias são menos comuns, mas podem acontecer. Nos casos de pilhas ou objetos cortantes, os sinais são agudos e o estado geral do animal piora rapidamente. Pode haver sangue nas fezes, no vômito, ele fica deprimido, tem dor e pode entrar em choque pelo extravasamento de líquido para dentro do abdómen, que causa infecção generalizada. No caso de corpo estranho linear, um fio vai prosseguindo pelo sistema digestivo, mas geralmente uma ponta fica presa lá no começo (normalmente embaixo da língua), e por isto o intestino sofre plicadura (como fazer pregas em uma saia). Com o fio bem estendido dentro do intestino, este começa a cortar as paredes. Por isto esses casos podem se agravar rapidamente, e também o animal possivelmente entra em choque séptico (infecção generalizada).

Como diagnosticar?

Histórico de ingestão de algum objeto, juntamente com exame físico (algumas vezes é possível palpar alterações no intestino, ou o próprio corpo estranho, o animal pode ter dor, e no caso de corpo estranho linear, algumas vezes é possível observá-lo ainda preso sob a língua do animal). Raio-x pode demonstrar presença de bolhas e alteração da anatomia dos intestinos, mas muitas vezes não se observa qualquer alteração. O ultrassom é mais sensível, mas ainda assim, alguns corpos estranhos não produzem estas alterações. A endoscopia pode ser utilizada para observação do corpo estranho no esôfago, estômago e uma porção do intestino, e algumas vezes é possível remover o corpo estranho já durante este procedimento. A laparotomia exploratória (cirurgia) é feita quando não foi possível determinar a causa do problema.

Como tratar?

Em alguns casos, o objeto pode sair sozinho, não requerendo qualquer tratamento, porém geralmente quando o animal apresenta sintomas, é necessária a intervenção pelo veterinário. Objetos encontrados no estômago (pelo raio-x, ultrassom ou endoscopia) geralmente não são um problema (ainda), e deve-se esperar. Quando o objeto está alojado no esôfago ou no intestino, sem se mover (faz-se exames radiográficos com intervalos de poucas horas pare determinar onde o objeto está), o tratamento é cirúrgico: Alguns objetos, dependendo de sua forma, tamanho e localização, podem ser removidos pela endoscopia. Quando esta não está disponível ou quando não é possível, a remoção é cirúrgica.

Como prevenir?

Deve-se evitar que o animal tenha acesso a qualquer coisa pequena ou facilmente destrutível, especialmente os filhotes que acabam brincando e ingerindo pedaços de objetos destruídos. Nos gatos, o principal problema são os fios, fitas, lãs, que eles gostam de brincar e acabam também engolindo.

Posso contrair também?

Não.



  • #corpos-estranhos #obstrução #vômito #diarreia #choque-séptico #adestramento #comportamento-animal #adestramentocanino
  •